Por que a santificação é difícil?

7 min read

Uma parte importante do amadurecimento como cristão é uma crescente consciência de nossos pecados. Pode ser explosões de raiva, um hábito de linguagem chula, negligenciar nossas famílias, não amar nosso cônjuge, pecado sexual, excesso de trabalho, negligenciar nossa vida espiritual ou qualquer outra série de coisas.

Não devemos parar de nos tornar conscientes, porém, devemos trabalhar para mudar o que Deus nos condenou. Tentamos ser melhores, tentamos mudar.

Colocamos novos hábitos em prática. Mas, inevitavelmente, a maioria de nós tropeçará nesse caminho de crescimento. Voltamos aos velhos padrões. A resistência é sempre encontrada na jornada em direção à mudança.

É aqui que podemos nos sentir mais desanimados. Quando sabemos o que devemos ser e estamos lutando por isso, mas nos encontramos fracos. Ou talvez você não tenha tropeçado, mas esteja desgastado por causa da persistente guerra contra o pecado. “Quanto tempo mais posso dizer não?” você pergunta.

Podemos supor que Deus quer acabar conosco e talvez devêssemos acabar conosco também, porque se essa coisa de cristianismo fosse real, não seríamos capazes de mudar muito mais facilmente?

A trajetória de crescimento

Nunca queremos pecar ou cair nos velhos hábitos, mas nenhum cristão jamais será perfeito até o dia em que Jesus voltar. Portanto, devemos ter uma estrutura para entender como lidar com nosso crescimento quando ele não é perfeitamente linear.

Considere 2 Pedro:

Por isso mesmo, esforcem -se para complementar a fé com a virtude, e a virtude com o conhecimento, 6 e o ​​conhecimento com o domínio próprio, e o domínio próprio com a firmeza, e a firmeza com a piedade, 7 e a piedade com a fraternidade, e a fraternidade, com amor.

Veja também:  As 7 principais estratégias de marketing digital para institutos educacionais

Por que a santificação é difícil?

Pois, se essas qualidades são suas e estão crescendo , elas o impedem de ser ineficazes ou infrutíferos no conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo.

Se essas qualidades são suas… e aumentando. Nas escrituras, há uma categoria em que temos essas qualidades, mas não as possuímos em todas as medidas. Deixe isso encorajá-lo quando o crescimento vier lentamente.

A vida cristã é um passo de cada vez. A questão da vida cristã não é se você possui todas essas qualidades perfeitamente agora. A questão é, com Cristo, você está trabalhando para eles com todas as suas forças?

Com trajetórias, pequenos ajustes agora resultam em uma grande mudança ao longo do tempo. Considere um navio, eles viram o leme 5 graus para a esquerda.

Em um dia, aquele pequeno ajuste não mudou muito a trajetória deles. Mas ao longo de 1 ou 2 semanas, onde eles são comparados com onde estariam se não tivessem feito a pequena correção é muito diferente.

O como e porque tudo acontece

Compreender como e por que lutar contra nossos pecados nos ajudará a permanecer no caminho quando for difícil. Se não formos cuidadosos, veremos lutar contra nossos pecados e nos tornar uma pessoa melhor de maneiras que nos esmagam.

  • Visão errada: devo, com meu próprio poder e força, tentar fazer melhor e nunca mais pecar para deixar Deus feliz;
  • Melhor visão: devo, pelo poder do espírito e o transbordamento da minha fé (que envolve trabalho), trabalhar duro para me tornar mais alinhado com o que Jesus me chamou, não para ganhar Seu amor, mas por causa de Sua profunda amor por mim.

Você vê a diferença? A pessoa tem em sua base um relacionamento com Deus e a graça. Um tem como base sua força. Por que e como de sua luta contra o pecado é importante. Pense um pouco. Lutar a partir da base errada irá esmagá-lo e ser insustentável.

Veja também:  Pudim brasileiro - uma receita diferente

O aposto do pecado

Se lutar contra o pecado é algo mais profundo do que simplesmente “dizer não”, como realmente vamos combatê-lo? Voltemos ao texto:

Por isso mesmo, esforcem-se para complementar a fé com a virtude, e a virtude com o conhecimento, 6 e o ​​conhecimento com o domínio próprio, e o domínio próprio com a firmeza, e a firmeza com a piedade, 7 e a piedade com a fraternidade, e a fraternidade. com amor.

Você percebe no texto como crescemos em santificação? Implementando boas virtudes em nossa vida. Agora, isso pode parecer muito simples ou não específico o suficiente, dependendo de como você lutou anteriormente contra sua carne pecaminosa.

Mas considere que pecado poderia prosperar se essas são as qualidades em nossos corações que estamos cultivando? Conhecimento de Deus pela leitura das escrituras e lendo um salmo do dia.

Que produz autocontrole. O autocontrole leva a crescer em firmeza e isso, piedade, e isso, afeição fraternal, e isso, amor.

Essas virtudes são o oposto do pecado. Se um vício em particular o prendeu, considere a virtude correspondente e trabalhe nisso. Por exemplo: se você está lutando para superar um coração zangado, trabalhe para ser mais grato. Se você está sendo egoísta, trabalhe para se sacrificar pelos outros.

Se você é propenso à luxúria, trabalhe em atos altruístas de amor. Cultivar a virtude oposta ao pecado que você quer matar mata de fome seu desejo por esse pecado.

Cultivando

Eu uso a palavra cultivar intencionalmente. Ele descreve duas partes importantes do processo de santificação:

1- Leva tempo

Cultivar é uma palavra agrícola. Cultivar a terra ou cultivar as colheitas. Existe algo sobre a agricultura que é rápido? Não. Cultivar leva incontáveis ​​dias, semanas e meses. Seu crescimento não acontecerá da noite para o dia. Essa pergunta importante é: qual é a trajetória disso? Crescimento lento ainda é crescimento real.

Veja também:  7 segredos doces e simples para fazer seu homem se sentir amado

2- Leva intencionalidade

O cultivo não acontece por acaso. É preciso trabalho dedicado e pensamento. Se você não se colocar em lugares e bloquear o tempo para cultivar o crescimento, isso não acontecerá. Não nos desviamos para a santidade, mas para o fracasso.

A santificação é uma maratona e não uma corrida

Então você caiu em sua jornada de santificação? Se você fosse um corredor correndo uma maratona e tropeçasse. Você se sentiria como se tivesse falhado em sua vida? A corrida acabou?

Como se você tivesse que voltar para a linha de partida e começar de novo? Não. Você simplesmente se levantaria e continuaria a corrida. Você aprenderia algumas lições daquela queda. Você cresceria. E você seguiria em frente, para coisas melhores.

Assim é com a nossa jornada de santificação com Deus. Sim, haverá consequências para os nossos pecados. E nosso pecado não é uma coisa pequena nem deve ser considerado levianamente. Mas, o relacionamento que temos com Deus agora não é de mantê-lo a nosso favor fazendo uma boa corrida. Isso se chama legalismo.

Conclusão

Isso transforma nossa condução da vida cristã. Porque não corremos mais para merecer o amor de Deus, corremos por causa do amor de Deus. A fonte de seu amor é a base sobre a qual nosso crescimento deve ser construído.

Não tente crescer nessas virtudes e matar o pecado sem Deus. Fazer isso é uma compreensão totalmente equivocada do ponto de crescimento, de experimentar mais de Deus. É assim que matamos o pecado, encontrando um prazer superior ao prazer do pecado. Ou seja, o prazer da comunhão contínua com Jesus.

É esse entendimento que nos ajudará a voltar quando tropeçamos no caminho da santificação.

You May Also Like

More From Author

+ There are no comments

Add yours